17.4.10

Campo de Trevos

Claudio Nascimento
O coração em vinho tinto
as pedras lisas
e ao dobrar de cada esquina
um dragão.
Vamos, me dê a mão,
no amor em seus labirintos
nos percamos com cuidado -
ah, este risonho campo de trevos
minado.

Fernando Campanella

Um comentário:

Amapola disse...

Que lindo poema... esse, do Fernando!

Eu ainda não vi o selo, mas lhe agradeço muito. Fátima, eu não consigo coloca-lo no blog, porque para isso, dependo do meu filho, que quase não tem tempo.
Fiquei constrangida com algumas amigas, devido essa questão.
Na internet, eu só lido com o básico mesmo. Acho que é falta de curiosidade. Eu digito até sem olhar, porque fui datilógrafa. O mais...
Peço-lhe desculpas, e outra vez agradeço-lhe muito.

Um grande abraço, amiga Fátima.