1.3.10

Antígua


 Meu coração tem o lirismo rude
das charnecas (acridoce palavra).
Chegam os ceifeiros e o cortam,
arrancam –lhe capins e piolhos
mas traz a teimosia,
a suave resistência dos restolhos
(bela palavra).

Tosa-me o tempo ,
retrocedo, tudo me desaba
mas o que me podam é o que cresço.


Fernando Campanella

Um comentário:

Amapola disse...

Que lindo poema...

Eu adoro essa flor. Ela não se faz de rogada, e floresce todos os dias, até na beira dos córregos sujos.
Talvez por isso, apelidaram-na de "BEIJO"

Um grande abraço. Feliz domingo.